Pesquisar

segunda-feira, 1 de julho de 2019

Show ‘De Cartola a Tom Jobim’ com a cantora Claudinha Telles

Avó, mãe, amiga e umas das principais vozes da música brasileira. Essa é cantora e compositora Claudia Telles de Mello Mattos, que aos 15 anos de idade começou a despontar para o sucesso e desde então não parou mais.

Fotos: Marcelo Castello Branco

Seus 42 anos de carreira guardam muitas conquistas, lembranças e a certeza de que sua voz sempre será imortal. Suas raízes justificam toda sua história na música. Ela é filha do violonista Candinho e de uma das precursoras da bossa nova, a cantora Sylvinha Telles.

O início de Claudinha Telles se deu no meio de gigantes. Ainda menina, foi convidada pela mãe para subir ao palco do Teatro Santa Rosa (RJ) no último show da temporada do espetáculo "Reencontro", que reuniu Sylvia Telles, Edu Lobo, Trio Tamba e Quinteto Villa-Lobos, para cantar "Arrastão" (de Edu Lobo e Vinicius de Moraes).

Ela começou sua carreira em 1972 fazendo coro em gravações de álbuns para vários artistas, como Roberto Carlos, José Augusto, The Fevers, Gilberto Gil, Jerry Adriani, Jorge Ben, Belchior, Simone, Rita Lee e Fafá de Belém, entre outros.

Substituiu a cantora Regininha no Trio Esperança, em shows e gravações, durante a gravidez da cantora. Foi também crooner do conjunto de Chiquinho do Acordeon.

Em 1976, foi convidada pela gravadora CBS para lançar um compacto simples com a música “Fim de Tarde” (escrita por Robson Jorge e Mauro Motta). A canção fez um mega sucesso no Brasil, chegando aos primeiros lugares das paradas musicais. O compacto vendeu mais de 500 mil cópias -o que lhe valeu seu primeiro disco de ouro-, além de vários prêmios e participação em diversos programas de TV da época.

No ano seguinte, Claudia Telles emplacou seu segundo grande sucesso, a canção “Eu Preciso Te Esquecer” (também composta pela dupla Robson Jorge e Mauro Motta). A canção fez parte da trilha sonora da telenovela global "Locomotivas".

No fim dos anos 70 gravou outros compactos e um LP, "Miragem".

No final da década de 1980, a cantora passou a fazer shows em homenagem a sua mãe, como "Tributo a Silvinha Telles" e "Saudade da Bossa Nova" - que permaneceram em cartaz em diversas capitais.

Nos anos 90, ela distanciou-se do gênero romântico que marcou o início de sua carreira e aproximou-se da MPB, particularmente da Bossa Nova. Entre outras canções regravadas por Claudinha Telles, estão “Dindi” e “Se Todos Fossem Iguais a Você”.

Em 1995, Claudinha lançou um CD com músicas de Cartola e Nelson Cavaquinho, que segundo ela própria, admitiu ser um divisor de aguas em sua carreira e, em 1997 lançou um álbum em homenagem a mãe Sylvinha ("Por Causa de Você") e em 2000 apareceu no mercado com um “Tributo a Vinícius de Moraes”.

Em 2002 lançou o álbum “Sambas e Bossas” e em 2004 lançou o CD "Tributo a Tom Jobim".

Neste show “DE CARTOLA A TOM JOBIM” a cantora Claudinha Telles revisitará o que há de melhor em sua discografia, composta de 10 álbuns lançados desde 1977 que, em seu primeiro Lp, trazia apenas seu nome, no título, “Claudia Telles” e o mais recente, ”Quem Sabe Você”, lançado em 2009, que trazia “Carta ao Tom 74” de Toquinho e Vinícius de Moraes, “Biquinho Azul” de seu pai Candinho e Ronaldo Bôscoli com a participação de Emilio Santiago e “Minha Namorada” de Carlos Lyra e Vinicius de Moraes.

Um show de clássicos da nossa melhor MPB.

Serviço
CLAUDINHA TELLES no show “DE CARTOLA A TOM JOBIM”
Produção e Assessoria de Imprensa e Marketing: João Luiz Azevedo
Data: Dia 27 de junho/2019
Quinta Feira: 20:30h
Local: Sala Municipal Baden Powell
Av. Nossa Senhora de Copacabana, nº 360 – Copacabana
Capacidade: 489 lugares
Preço dos Ingressos: R$ 60,00 / R$ 30,00 (estudantes, jovens até 21 anos e maiores de 60 anos).
Duração: 70 minutos
Classificação: 14 anos
Gênero: Show Musical