Pesquisar

quinta-feira, 6 de junho de 2019

Livro ‘A Letra & a Poesia na MPB: Semelhanças & Diferenças’, de Euclides Amaral

O autor define o trabalho como “A influência da poesia provençal do século XI, e ibérica do século XVI, na formação de uma identidade líteromusical dos letristas brasileiros do século XIX ao XXI.”

Seguem cinco opiniões de importantes balizadores na área de pesquisa acadêmica sobre o tema:
Segundo Fred Góes (Letrista, ensaísta e Doutor em Teoria da Literatura) “Importante também ressaltar o fato de que o autor dirige sua atenção tanto para a música (melodia, harmonia e ritmo) quanto para o texto poético, para a letra da canção, contemplando assim os dois códigos fundadores da canção popular. Outro dado que merece destaque é a utilização de um registro de linguagem leve, usual, sem, no entanto, cair nas armadilhas da vulgaridade.”

De acordo com Júlio Diniz (Ensaísta e Doutor em Literaturas de Língua Portuguesa) “A linguagem empregada oscila entre o tom jornalístico e o historiográfico, às vezes até poético, possibilitando ao leitor entrar em contato com as centenas de informações levantadas, as análises propostas e as conclusões de inúmeras pesquisas que Euclides Amaral realizou nos últimos anos, predominando a relação entre a poética da palavra cantada e a da palavra escrita. A leitura crítica dessa relação é muito bem realizada, potencializando a figura do letrista da poética popular como um poeta tão sofisticado e histórica e esteticamente importante quanto os artistas do campo erudito.”

Sérgio Natureza (Poeta-letrista) vaticina quanto à pesquisa realizada: “A partir deles, Euclides Amaral enfoca, neste livro, seus legítimos herdeiros, sucessores do trabalho pioneiro/ essencial que eles, os patriarcas, nos legaram.”

Sergio Fonseca (Letrista e professor de Português-Literatura) afirma “Agora vem este livro de Euclides Amaral e recoloca essa discussão na pauta. Sem nenhuma intenção de esgotar o assunto, ele aponta semelhanças e diferenças entre letra e poesia na MPB, discorrendo sobre canções e autores, citando fontes de estudo e nos obrigando a refletir sobre o tema.”

Ricardo Cravo Albin (Musicólogo e escritor) ressalta sua importância na área da pesquisa acadêmica: “Amaral se incorporou ao nosso ‘Dicionário Cravo Albin da MPB’ em 1999, ou seja, é pioneiro na construção do hoje considerado pela UNESCO o mais extenso banco de dados do mundo em música popular.”

O autor, pesquisador do Instituto Cultural Cravo Albin, publicou diversos livros sobre a MPB, entre os quais Alguns Aspectos da MPB, em 3ª edição, com os ensaios “O Samba”; “O Choro”; o “O Hip hop”; “O Funk”; “A MPB no Cinema Nacional de 1895 a 2014” e “A contribuição estrangeira na MPB do século XVI ao XXI”.

Release do autor
Pesquisador de MPB, poeta, letrista, produtor musical e gráfico.

Formado em Comunicação Social (Publicidade & Propaganda) pela Universidade SUAM. Cursou Português-Literatura na Gama Filho. Fez trabalhos de produção iconográfica, revisão de português e de conteúdo para diversas editoras, entre as quais a MEC/Funarte, no livro MPB - A História de Um Século. 2ª ed. Revista e ampliada, de Ricardo Cravo Albin, em 2012.

Como pesquisador teve acesso a acervos de instituições como Museu da Imagem e do Som, EMI-Odeon, Biblioteca Nacional, Funarte e Instituto Cultural Cravo Albin. Foi curador em vários projetos musicais, tais como Quintas no BNDES.

Entre 1999 e 2019 atuou como pesquisador musical da Biblioteca Nacional, FAPERJ, PUC-Rio, FINEP e CNPq, com bolsas de pesquisa das referidas instituições. Neste período, trabalhou como redator e pesquisador musical do Instituto Cultural Cravo Albin, para o qual produziu verbetes para o site dicionariompb.com.br e para o Dicionário Houaiss Ilustrado Música Popular Brasileira (Editora Paracatu, 2006).

Publicou o livro de pesquisa e ensaios musicais Alguns Aspectos da MPB (Editora do Autor, 2008/2ª ed. Esteio Editora, 2010 - 3ª ed. EAS Editora, 2014) e a biografia O Guitarrista Victor Biglione & a MPB (Edições Baleia Azul, 2009/2ª ed. Esteio Editora, 2011 - 3ª ed. EAS Editora, 2014).

Colaborou em jornais e revistas com textos sobre a MPB. Como escritor publicou os livros de poesias Sapo c/ Arroz (1979/2ª ed. 1984), Fragmentos de Carambola (1981), Balaio de Serpentes (Poemas & Letras-1984), O Cão Depenado (1985), Sobras Futuristas (1986), Cynema Bárbaro (1989), Emboscadas & Labirintos (contos/Editora Aldeia, 1995), Desafio das Horas (poesias e letras, 2013), Poesia Resumida - Antologia Poética 1978/2012 (Edições Casa 10 Comunicação, 2013 - 2ª ed. EAS Editora, 2014).

Publicou poemas em fanzines, jornais, revistas e antologias por várias editoras do país. A partir de 1978 produziu cerca de 30 discos para selos, gravadoras e artistas independentes.

Como letrista têm registradas em CDs mais de 60 composições, entre gravações e regravações, em parceria com Aljor, Big Otaviano, Bóris Garay, Cacaso, Carlos Dafé, César Nascimento, Claudio Latini, Cristina Latini, Eliane Faria, Elza Maria, Helô Helena, Ivan Wrigg, Jaime Pontes, Jênesis Genúncio, Jô Reis, Joel Nascimento, Lúcio Sherman, Marcelo Peregrino, Maria Tereza, Marko Andrade, Milton Sívans, Moisés Costa, Olten Jorge, Paolo Vinaccia, Paulo Renato, Reizilan Cartola Neto, Renato Piau, Reppolho, Rubens Cardoso, Sérgio Gramático Júnior, Sidney Mattos, Silvana Elizabeth, Victor Biglione e Xico Chaves.

Entre seus intérpretes constam, além de muitos de seus parceiros citados, André Henriques, Anna Pessoa, Banda Du Black, Bernardo Diniz, Ceiça, Denise Krammer, Edir Silva, Flávio Leandro, Grupo Mamulengo, Jaidete Varjão, Jane Reis, Jorge de Souza, Luiz Melodia, Luiza Dionizio, Mário Bróder, Martha Loureiro, Namay Mendes, Paulinho Miranda, Pecê Ribeiro e Solange Pereira. Gravou poemas em seis CD de parceiros e em seu disco solo Quintal Brasil - poemas, letras & convidados, (Selo Ipê Mundi Records/Noruega, 2012), no qual interpretou poemas e teve a participação de parceiros e intérpretes nas 17 composições.

Em 2019 finalizou o CD Perfil – letras, poemas, parcerias & intérpretes, gravando poemas e contando com a participação de parceiros e intérpretes nas 19 faixas. Saiba mais em dicionariompb.com.br.