Pesquisar

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

ParlaMundi da LBV sedia roda de conversa sobre intolerância religiosa

O evento foi promovido pela Iniciativa das Religiões Unidas (URI Brasília), pelo Comitê Distrital de Diversidade Religiosa (CDDR) e Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (CONIC).

Por: Janine Martins

Fotos: José Gonçalo


O Parlamento Mundial da Fraternidade Ecumênica, o ParlaMundi da LBV, sediou, neste dia 21, Dia Mundial da Religião e o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, uma roda de conversa em favor da Diversidade Religiosa, promovida pela Iniciativa das Religiões Unidas (URI Brasília), pelo Comitê Distrital de Diversidade Religiosa (CDDR) e Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (CONIC).

No Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, comemorado nesta segunda-feira, 21, a Secretaria de Justiça e Cidadania promoveu, por meio das Subsecretarias de Direitos Humanos e Igualdade Racial, uma roda de conversa para debater a importância do respeito à diversidade de crenças e reafirmar o compromisso com a liberdade religiosa.

O evento contou com a presença de representantes de diversos segmentos religiosos. O administrador do Conjunto Ecumênico de Boa Vontade (formado pelo Templo da Boa Vontade, prédio administrativo e ParlaMundi), Paulo Medeiros, discursou como anfitrião do encontro. A pregadora ecumênica Marina Krieger, da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, também marcou presença.

"O ParlaMundi recebe, no Dia Mundial da Religião e no Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, em seu Salão Nobre, líderes religiosos, de várias etnias e crenças, e até quem não professa nenhuma fé. (...) Esse é mais um evento que sediamos e que valoriza as pessoas e o diálogo inter-religioso. Isso é muito importante, porque cumpre a missão do ParlaMundi e do Templo da Boa Vontade, que é um espaço de diálogo, de debates, para todos os segmentos da sociedade", afirmou Medeiros.

Presente no debate, o subsecretário de Direitos Humanos do DF, sr. Juvenal Araújo, fez questão de ressaltar a importância deste encontro. "Não é admissível que em pleno século 21 ainda tenhamos pessoas perseguidas por sua profissão de fé. Por isso, é importante estarmos aqui, discutindo qual é o caminho para que possamos promover a liberdade do culto. Quero agradecer a LBV por ceder o espaço, não teria outro lugar para fazer um evento deste porte, com todos unidos pela Cultura da Paz."

Sobre o tema do encontro, o subsecretário de Igualdade Racial do DF, Diego Moreno, destacou: "Nós estamos, em algum momento, muito perto da Paz, e em outros, muito longe. Façamos uma reflexão para que possamos debater, todos aqueles que têm fé e aqueles não têm, mas que querem o respeito, e estejam no mesmo ambiente para provar que é possível [viver em Paz]. O dia 21, especificamente, é necessário para combater os vários tipos de discriminação e, de uma forma pedagógica, adentrar as escolas e elevar ao conhecimento de todos essa questão religiosa, que está no nosso País de maneira muito plural".


A roda de conversa, que reuniu diversas lideranças religiosas, debateu a importância do respeito à diversidade de crenças, reafirmando o compromisso com a liberdade religiosa.
"É muito importante estarmos aqui, juntos, envolvendo toda essa diversidade religiosa, (...) principalmente para as comunidades tradicionais de matriz africana, que sofrem com o racismo e a intolerância", disse a Mãe Baiana e representante da Sociedade Civil no Comitê Distrital da Diversidade Religiosa, Adna Santos.

E completou: "Eu agradeço a LBV por esse espaço, que é único. Esse é o espaço da diversidade, nos sentimos em casa, acolhidos, todas as vezes em que estivemos aqui, chamados para estarmos juntos nessa grande corrente de fé. Digo que a LBV é isso, uma grande corrente de fé. Aqui nos sentimos em casa, sem nenhum preconceito, no meio de irmãos. Eu me coloco à disposição da LBV, esse espaço é super importante para a sociedade brasileira".

A secretária nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Sandra Terena, trambém teceu seus apontamentos sobre o evento. "É um encontro de fundamental importância, porque, em pleno século 21, ainda vivemos situações de muitas agressões de cunho religioso. Então, um evento como esse, com pluralidade religiosa, e até mesmo de quem não tem religião, é fundamental para abrirmos o debate e, juntos, pensarmos soluções e alternativas que visem uma harmonia entre todas as crenças e não crenças", comentou.

A ação faz parte de uma série de atividades realizadas nesta semana com o objetivo de conscientizar à população sobre o assunto.


O ParlaMundi da LBV foi erguido a fim de servir de fórum irrestritamente ecumênico para o entendimento definitivo entre os povos da Terra, tratando de todas as questões fundamentais da vida, sejam de ordem social, humana ou espiritual. Foi inaugurado em 25 de dezembro de 1994 por Paiva Netto em Brasília, DF.