Pesquisar

quinta-feira, 14 de junho de 2018

Marina Iris show de lançamento do disco 'Rueira'

“A força da mãe África, a luz de Cesária Évora, a emoção de Dolores. Marina é tudo, é mundo.  É rueira”. (Áurea Martins)

No show de lançamento do seu segundo disco, RUEIRA, a cantora revelação Marina Iris encarna nas suas interpretações o dinamismo, a diversidade e a potência das ruas. É ritmo e poesia pulsando em samba, pop, valsa, canção e coladeira. Além do repertório de seu novo álbum, Marina apresenta músicas consagradas que dizem sobre a vivência das ruas, a luta feminina e a luta negra. A apresentação será no dia 15 de junho, sexta, às 20h, no Teatro Rival Petrobras, na Cinelândia, com as participações especiais de Teresa Cristina e Julio Estrela.

CURTA O BLOG DO LOURENÇO NO FACEBOOK

No show Rueira, bem como no disco, modernidade e reverência fazem esquina. O frescor e a força de Marina pedem a benção de suas grandes referências, expoentes dos mais variados gêneros, como Tim Maia, Cesária Évora, Maria Bethânia. É a bagagem que a cantora traz do samba aliada a uma verdadeira entrega a outros ritmos e encontros.

Rueira foi lançado em março pela gravadora Biscoito Fino e produzido conjuntamente com Rodrigo Lessa, instrumentista, melodista e arranjador renomado, e Manu da Cuíca, letrista e escritora da nova geração elogiada por Aldir Blanc.

Tem canções sobre o amor entre duas mulheres que dividem uma cama pequena (Meio a meio), faixa que no disco Marina divide com Zélia Duncan, e sobre a intolerância contra seguidores de religiões afro-brasileiras (De branco) ("silêncio pra quem acha/ que as pedras fazem crer algum louvor"). Tem samba rasgado listando as misturas de um réveillon na praia (Avenida Réveillon). No pop, na faixa em que a cantora é acompanhada pela Banda do Síndico, as princesinhas do mar são atualizadas (Princesinha Underline 86)("Princesinha não é como antes/ tem peguete, também tem ficante"). Na faixa Xodó, que a Marina divide com o cantor Julio Estrela, expoente da nova geração do samba, um casal bate-boca em ritmo de salsa caboverdiana (Xodó) e o churrasquinho de rua toma as marquises de um samba com vocação impressionista (Ponto de cruz) ("gíria de calçada/ que derruba um alfabeto/ poema numa deixa de concreto").

Rueira é a cidade lida - e reivindicada. E Marina Iris, a cantora que encarna, com talento e personalidade as esquinas.

Serviço
Teatro Rival Petrobras - Rua Álvaro Alvim, 33/37 - Centro/Cinelândia - Rio de Janeiro. Informações: (21) 2240-9796. Capacidade: 400 pessoas. Metrô/VLT: Estação Cinelândia. Data: 15 de junho (Sexta). Horário: 20h. Abertura da casa: 19h. Censura: 18 anos. www.rivalpetrobras.com.br. Ingressos: Setor A e B – R$ 60 (inteira), R$ 30 (meia). 
*Meia entrada: Estudante /Idosos / Professores da Rede Municipal / Funcionários da Petrobras