Pesquisar

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Teatro, funk e literatura juntos e misturados no Baú das Artes

Lançamento do livro Um Palco e Muitas Vidas, na sede do projeto social No Palco da Vida, em Olaria, reuniu várias atrações, como MC Sam, oficinas de artes e esquetes teatrais

Um caldeirão de artes e ritmos. Assim foi o Baú das Artes, realizado no sábado dia 27, na sede do projeto social No Palco da Vida, em Olaria, no Rio de Janeiro.  O evento comemorou os 10 anos do projeto e o lançamento do livro Um palco e Muitas Vidas, com direito a bate-papo com a autora Teresa Montero e mediação do ator e diretor Wal Schneider.  Durante toda a tarde foram ministradas oficinas de teatro, corpo e palhaçaria; houve apresentação de esquetes teatrais, com a participação do grupo Harmonia, e o Mc Sam subiu ao  palco para agitar o público presente.  Devido às fortes chuvas, a veterana atriz Ruth de Souza não pode comparecer e adiou sua palestra na seção Papo de Mestre.

Nascido em Olaria, Mc Sam, famoso por hits como Dia de Maldade e Onda do Pokemon, fez questão de trocar figurinhas com a autora do Teresa Monteiro e falou sobre a importância de se incentivar projetos que promovam a cultura na região. Teresa, biógrafa de Clarice Linspector, também ressaltou o incentivo à arte como fundamental. “Há muita coisa boa nessa área. Aqui é a terra de Pixinguinha, tem  o Cacique de Ramos, o No Palco da Vida e muito mais. E  o povo precisa de muito mais arte, cultura. Por tudo isso fico muito feliz de contribuir com o Projeto, que  já tem 10 anos de uma linda história”, diz Teresa .

Sobre o No Palco da Vida
Localizado no bairro de Olaria, em pleno Complexo do Alemão, no Rio de janeiro, o projeto No Palco da Vida já atendeu mais de 3000 alunos com aulas gratuitas de teatro, cinema, dança, música, literatura, palestras e acesso a uma biblioteca com mais de 6 mil livros e 8 mil DVDs.

Marcando esses 10 anos de sucesso, o livro  Um Palco e Muitas Vidas conta a trajetória do projeto, que já recebeu vários prêmios, e trás depoimentos de artistas que apóiam e ajudam a causa, como Zezé Motta, Tony Ramos, Bete Mendes, Bianca Ramoneda, Malu Mader...  Escrita por Teresa Montero, biógrafa de Clarice Lispector, com orelha por Sergio Fonta, quarta capa assinada por Elisabeth Jhin e Malu Mader, a obra  já está sendo vendida nas livrarias Eldorado e Copabooks e on-line apenas pelo site da livraria Eldorado (www.livrariaeldorado.com.br). Toda a renda das vendas será revertida para o projeto, inclusive o percentual da editora e da autora.

Um sonhador que reconstrói muitas vidas
E tudo começou com Wal Schneider. Ou melhor, José Valdemir da Silva Gomes que, nascido na cidadezinha de Tabuleiro do Norte, no Ceará, encantou-se pelas artes quando o circo chegou à sua cidade. Ele tinha apenas 7 anos. Aos 17 pegou carona em um caminhão de melões  e  com apenas R$ 25.00 no bolso arrecadados por sua mãe, foi atrás do sonho de se tornar ator. No Rio de Janeiro, lavou pratos, fez faxina, mas mesmo com muitas dificuldades, conseguiu ajuda para engrenar nos estudos.  Formou-se ator, fez pós em Direção Teatral na conceituada Cal (Casa de Artes de Laranjeiras), adotou o sobrenome de um de seus benfeitores e tornou-se Wal Schneider.

“Em um determinado momento vi que o que eu tinha conseguido - ser ator - não podia parar ali. E agora? Agora eu precisava distribuir a arte, compartilhar com o máximo de pessoas. Não é apenas teatro, é contribuir para a formação do cidadão, do ser humano”, conta Wal, que deu aulas na UERJ e, em seguida ministrou uma oficina no Sesc de Ramos para a meninada do Complexo do Alemão. O interesse foi tanto que a mãe de uma aluna ofereceu o quintal de casa para Wal continuar ensinando sua arte. Tantos vieram que Wal precisou ampliar o espaço e alugou o casarão de Rua Uranos, em Olaria, Zona Norte do Rio, onde hoje funciona o projeto que atende crianças, adolescentes, adultos, a turma da melhor idade e alunos especiais.