Seja bem-vindo ao Blog do Lourenço! Obrigado por sua visita... Volte sempre!


quinta-feira, 11 de maio de 2017

Arthur Xexéo lota Livraria da Travessa no lançamento da biografia de Hebe Camargo




De Luiz Carlos Lourenço
Fotos de Vitoria Virtus e Carlos Vonpinaz Barreto

O lançamento prometia muitas presenças. O início dos autógrafos estava previsto para começar às 19h, mas ao chegar no Leblon na Livraria da Travessa meia hora mais cedo e observando a longa fila já formada, o jornalista, escritor, colunista e produtor teatral ARTHUR XEXÉO, começou a autografar as centenas de exemplares de HEBE, a biografia de Hebe Camargo, uma das maiores estrelas da história da TV e assim prosseguiu sem parar, por quase cinco horas.


Durante um ano e meio em que se dedicou ao livro, o jornalista conviveu com alguns dos familiares de Hebe, como seu sobrinho Claudio Pessutti (presente ao lançamento), entrevistou seus amigos e gente que trabalhou com ela e mergulhou nos arquivos de sua trajetória. O livro terá sua segunda noite de autógrafos hoje à noite em São Paulo, na Livraria Cultura, no Piso do Teatro do Conjunto Nacional, a partir das 19 h.

Na sessão de autógrafos, o autor encaminhou um livro autografado ao diretor presidente da LBV, jornalista, escritor e radialista José de Paiva Netto, com a seguinte inscrição: “Para José de Paiva Netto, na expectativa de que goste. Com carinho, do Arthur Xexéo”, maio de 2017.”

Um dos primeiros a chegar à livraria foi o seu colega de trabalho, o escritor, cronista e jornalista Zuenir Ventura, juntamente com o cineasta Zelito Vianna, o ator e produtor teatral Haroldo Costa(com a mulher, Mary Ventura), a jornalista e apresentadora Liliana Rodriguez, além de Cidinha Campos, Cora Ronai, o ator Gilberto Gavronsky, o escritor, jornalista e colunista Joaquim Ferreira dos Santos, o cinegrafista Ricardo Strauss, o fotógrafo Marcos Ramos, Madeleine Saad, Yaci Nunes, o ator Carlos Vonpinaz Barreto, o jornalista Jorge Antonio Barros, a produtora e promoter Ana Maria Tornaghi e a atriz Regiane Alves.

Lá estavam ainda a cantora da noite carioca Vitoria Virtus, Irce Brito, a figurinista Talita Portela, Flavia Macedo, José Ronaldo Muller, a cantora Rosemary e o ator e comediante Rodrigo Fagundes

Hebe Camargo era aquilo que se costuma chamar de uma “força da natureza”. Pode-se não admirá-la, mas era uma mulher múltipla, esfuziante e, sobretudo, uma estrela. Brilhou como cantora nos tempos da dominância do rádio como meio de comunicação e, depois, como apresentadora de televisão, dos primórdios até sua morte, em 2012, aos 83 anos.

O livro aborda diversas fases da carreira de Hebe, desde o início de sua vida artística – ela começou como cantora -, passando pelo seu primeiro programa de calouros aos 13 anos – para ajudar na renda da família que morava em Taubaté – até se tornar a grande estrela da TV brasileira. Numa época em que não se falava de feminismo, seu primeiro programa na TV se chamava “O mundo é das mulheres” – talk show que estreou em setembro de 1955 na TV Paulista. O encerramento sempre era com a pergunta: “O mundo é das mulheres?”.  Muitos relatos de personagens que sentaram no sofá do programa estão na publicação.

A obra de Xexéo lançada ontem reúne também depoimentos de amigos e familiares de Hebe, entre eles Tom Cavalcante, Ignácio de Loyola Brandão, Boni e Gloria Pires. Mostra também alguns detalhes de sua vida pessoa, como namoros controversos, o casamento com um homem desquitado, o filho, o aborto que confessou publicamente ter feito, os medos, as cirurgias plásticas, o tipo de comida favorita, o amor pelo pai, os primeiros passos na carreira, o sucesso, os ressentimentos, as brigas, as amizades, as viagens e as críticas políticas que fazia na abertura de seu programa lhe renderam brigas com o Congresso Nacional e conflitos no SBT.

UM BRINDE À VIDA
No prefácio, com o título de “Hebe e Eu”, Arthur Xexéo fala de como ele entrou na vida da apresentadora:
- Minha avó materna, dona Candoca, foi quem me apresentou a Hebe Camargo. Era ela, a minha avó, quem controlava o seletor de canais da moderníssima TV importada de 18 polegadas que tinha lugar de destaque na sala de visitas do apartamento em Copacabana. E era para lá que eu ia, quase todo dia, depois da aula. Eram três os canais. No canal 6, a TV Tupi, parte da família gostava de assistir ao Repórter Esso e ao Grande Teatro de Sergio Britto. O canal 13, da TV Rio, exibia meus programas favoritos, quase todos shows humorísticos, como Noites Cariocas e O Riso é o Limite. Ao 9, a TV Continental, ninguém assistia. Quer dizer, quase ninguém. Pelo menos uma vez por semana, minha avó sintonizava o menosprezado canal 9. Era quando ia ao ar o programa da Hebe Camargo.


SERVIÇO
“Hebe: A Biografia”
De Artur Xexéo
266 páginas
R$ 34,90
Editora BestSeller - Grupo Editorial Record

Confira mais fotos do evento abaixo: