Seja bem-vindo ao Blog do Lourenço! Obrigado por sua visita... Volte sempre!


terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

INÁCIA. A GUERREIRA QUE HÁ TRÊS ANOS MORA NO MIGUEL COUTO E SONHA CONHECER UM DIA SUA CONTERRÂNEA, ELBA RAMALHO


 


De Luiz Carlos Lourenço
Com fotos do álbum pessoal


A história tem demonstrado que os mais notáveis vencedores normalmente encontraram obstáculos dolorosos antes de triunfarem. Eles venceram porque se recusaram a se tornarem desencorajados por suas derrotas. Este é o caso da paraibana INACIA ALCANTARA BEZERRA, uma espiritualizada e otimista mulher brasileira que mora há 3 anos na RUA MÁRIO RIBEIRO, 117, no Leblon. Este endereço coincide por sinal com a localização do Hospital Municipal Miguel Couto, onde Inácia ocupa um espaço de pouco mais de dois metros na enfermaria 203 do setor de ortopedia.



Aqui é a “Minha Casa, Minha Vida” e foi desta cama que saí para as 17 cirurgias aqui no Miguel Couto, diz Inácia, apontando para o leito num canto da enfermaria, cercado por uma cadeira de rodas e um pequeno aparelho de TV, além de suas poucas roupas e alguns objetos pessoais. Não tenho luxos, mas sei que quando receber alta Deus me diz que irei conseguir um quartinho próximo do Miguel Couto para continuar meu tratamento de osteomelite. Este luxo me basta.  Cultivo um único desejo, o de conhecer minha conterrânea Elba Ramalho, que paraibana como eu, ralou muito no Rio de Janeiro até conseguir um lugar ao sol.Tenho a certeza de que ela me passará toda a energia necessária para prosseguir minha luta. Ela pode pintar por aqui em qualquer dia de sua folga de shows ou carnaval na semana, porque as visitas aqui no Miguel Couto podem ser feitas de segunda a segunda e das 11 h da manhã às 20 h.


Sem se preocupar com o espanto daqueles que tomam conhecimento de sua moradia, Inácia sorri das próprias dificuldades. “Eu nem estou aí para os sustos porque aqui no hospital recebo um tratamento seis estrelas. Tenho de parente apenas uma irmã, que me faz uma visita uma vez outra, porque diz que tem horror ao ambiente de um hospital.



Otimista, Inácia encerra o papo com o jornalista com uma frase encorajadora:
 - A vida é maravilhosa se a gente não tem medo. E a vitória foi sempre de quem nunca duvidou.