Pesquisar

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

FOTOBIOGRAFIA DE MARIA BETHÂNIA FOI LANÇADA COM SUCESSO NO MAM, NO RIO





De Luiz Carlos Lourenço
Fotos de Daniel Marques


Com a presença de dezenas de personalidades, entre artistas, jornalistas, escritores, fotógrafos e muitos admiradores, a diretora de teatro, curadora e cenógrafa BIA LESSA lançou na tarde de ontem, autografando por mais de quatro horas, o livro “ENTÃO, MARIA BETHÂNIA” uma foto biografia com os principais momentos da vida da cantora baiana, mostrando as imagens e fatos marcantes dos seus cinquenta anos de carreira.

O livro reúne mais de 400 fotografias de todos os períodos de sua vida artística e pessoal traçando um perfil da mais famosa filha da pequena cidade de Santo Amaro da Purificação, no Recôncavo Baiano, a partir de suas relações com a cultura, tradição e religião brasileiras. A obra conta com registros em cores e preto e branco de mais 50 fotógrafos, contemplando seu universo particular, ao lado da família e amigos, o sincretismo que perpassa sua vida e obra, a relação com suas origens e sua religiosidade, resgatando uma importante faceta da cantora: sua brasilidade.
Chico Alencar, Bia Lessa, Izabella Mônica Vieira Teixeira e o fotógrafo Evandro Teixeira

 Emocionada com a presença de tantos amigos, Bia Lessa explicou como concebeu o livro que acaba de lançar:

“O livro a princípio seria só de fotografias da Bethânia, mas fiquei completamente apaixonada por Santa Amaro e pelo Recôncavo. Esses lugares são de uma riqueza cultural absurda, é o Brasil no seu auge, uma mistura entre o profano e sagrado, entre a sofisticação e despojamento, é uma sabedoria de gêneros, todos ali se namoram. Você realmente entende o Brasil. Você sente a força dos índios, dos negros, dos portugueses, das forças populares e das eruditas”, disse Bia.

O jornalista e escritor Joaquim Ferreira dos Santos

Uma das fotos mais emblemáticas do livro é a de um palco construído em cima de uma caixa d´água na casa de Dona Canô, cenário de festas cheias de alegria no melhor estilo baiano. “Nas festas, todo mundo ficava ali, rindo, falando. É uma farra. E na casa de Dona Canô até hoje todo mundo entra, as portas ficam sempre abertas”.

Além de fotografias, o livro conta uma seleção de textos de Maria Lucia Montes, Lillian Schwartz e Jorge Mautner. O texto de abertura é um trecho do livro “O Povo Brasileiro”, de Darcy Ribeiro.

Entre os muitos nomes que circulavam pelos saguões do MAM em torno da autora do livro, destacavam-se os fotógrafos Evandro Teixeira, Frederico Mendes, Marcos Ramos, Thereza Eugênia, Cristina Granato, as atrizes Letícia Sabatella, Sandra Pêra e Daniele Moura, os jornalistas Joaquim Ferreira dos Santos, Christovam Chevalier, Adalberto Neto e Cristine Ajuz,a produtora musical Ruth Castro, o cineasta Silvio Back, os políticos Chico Alencar e Alessandro Molon, Izabella Mônica Vieira Teixeira, que foi ministra do Meio Ambiente nos governos de Lula e Dilma, os atores Fernando Pinto e Carlos Vonpinaz Barreto, o músico Beto Saroldi, que abrilhantou o lançamento executando várias músicas em seu saxofone, Ana Basbaum, o editor Carlos Leal, Arlindo Hartz e Marcelo Castello Branco.

Com a fotógrafa Thereza Eugênia


A apresentação das fotos conta também com algumas músicas de Caetano Veloso, Gilberto Gil, Nestor de Oliveira, Mabel Veloso e Ana Flávia.

Além do lançamento desta terça-feira, outras sessões de autógrafos estão sendo preparadas por Bia Lessa, para atender vários convites já feitos à editora do livro(Barleu Edições Ltda), como a diretoria a Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira, vencedora do carnaval no ano passado tendo como enredo a obra de Maria Bethânia. O livro também será vendido durante os shows que a cantora realizada anualmente no Rio e em São Paulo ao lado de Chico Buarque de Holanda e outros artistas com o objetivo de obter fundos para o carnaval da mais tradicional escola de samba carioca, a “verde e rosa”. O show no Rio já está programado para o próximo mês de fevereiro, no palco do Vivo Rio.

O casal de atores Fernando Pinto e Letícia Sabatella

Bia Lessa é diretora de teatro, curadora e cenógrafa. Contemplada com o Prêmio Molière de melhor direção, Bia realizou, em 1998, a exposição "Brasileiro que nem eu, que nem quem?", que resultou em livro homônimo. Mais recentemente , dirigiu a exposição "Maria de todos nós", em homenagem à Maria Bethânia e o show da cantora "Abraçar e agradecer"à editora do livro(Barleu Edições Ltda), como a diretoria a Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira, vencedora do carnaval no ano passado tendo como enredo a obra de Maria Bethânia.

Com o musico Beto Saroldi