Pesquisar

sábado, 13 de fevereiro de 2016

Num sábado luminoso, familiares e amigos rezam por Elisa Ferraz na missa da esperança



De Luiz Carlos Lourenço
Fotos de Daniel Marques

Ninguém falou mais no desfile do Boco da Anitta, que juntaria milhares de foliões no centro da cidade. Nem no desfile das campeãs, programado para a noite deste sábado. E muito menos em uma rodada de chopp com amigos ou a ida à praia ou clube carioca para fugir do  verão de 40 graus. O assunto das altas rodas sociais, desde a manhã de ontem, era um só:  a obrigatoriedade moral de comparecer à missa pelo sétimo dia pelo falecimento de  Elisa Ferraz, uma senhora de muito respeito e coração abnegado, colaboradora de inúmeras obras sociais e amada como uma mãe extremosa pelas integrantes do grupo do Terço.

Muito querida e amiga de todos, a cada ano, Elisa fazia seu almoço de aniversário e convidava suas amigas para soprar as velinhas, reunindo quase 300 mulheres e para todas ficarem bem confortáveis,  escolhia sempre os amplos salões do Gávea Golf Clube. Muito bom gosto nas  flores e nas toalhas e um menu especial que tinha de um tudo. Como sobremesa musical, todos os anos, a internacional cantora e atriz Eliana Pittman era a artista convocada para o show. E um show ao lado de  Elisa Ferraz acabava sempre com  dança, abraços, alegrias e muita muita animação.

E ontem, sete dias após o seu falecimento, o encontro de todas estas mulheres foi bem mais solene,respeitoso, o mais sentido,sem o uso de celulares ou selfies, com muitas delas chorando copiosamente e até com algumas sem conseguir falar sem soluçar. Foi o caso de Glorinha Severiano Ribeiro, ao emitir suas palavras de improviso sobre a querida amiga.






A família de Elisa e as amigas do Grupo do Terço, sabiamente, escolheram para a celebração da missa da esperança a Igreja de São Pedro, na Av. Paulo de Frontin, no Rio Comprido, o mesmo templo onde Elisa casou, anos atrás. E ali estavam seus filhos Beth Novello Ferraz, Marilena Ferraz Barreto, Hilda Novelo Freitas, Paulo Brissac, netos, bisnetos e sobrinhos, num congraçamento harmonioso com dezenas de amigos.


Para a celebração, apesar de já estarmos no período da Quaresma, a igreja foi inteiramente decorada com lírios e angélicas brancas, que, ao final da missa, foram levados como lembrança pelas senhoras presentes. A maior parte dos fiéis  que esteve na missa, compareceu vestindo calça branca e camisetas com imagens de Nossa Senhora. Entre os celebrantes, os sacerdotes mais queridos e amados por Elisa, o Padre Jorjão, da Paróquia Nossa Senhora da Paz, de Ipanema, o Monsenhor Sergio Costa Couto,   do Outeiro da Glória, e o padre Renato Martins, da Paróquia de Nossa Senhora da Apresentação, em Irajá.



Além da maior parte das integrantes do Grupo do Terço, estiveram na missa vários amigos de Elisa Ferraz, como Sergio Costa e Silva, do projeto Música nos Museus, a jornalista, colunista e blogueira Sylvia de Castro, o fotógrafo Sebastião Marinho, o jornalista Luiz Carlos Lourenço e o fotógrafo Daniel Marques, que compõem a equipe do blog do Lourenço.


No encerramento da celebração, todas as integrantes do Grupo do Terço se reuniram em círculo junto ao altar da igreja para saudar e aplaudir Elisa Ferraz, seguindo-se uma apresentação da cantora e atriz internacional Eliana Pittman, que muito emocionada, apresentou um meddley emendando uma canção em hebraico que preconiza a paz entre os irmãos e uma das pérolas da obra de Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes, "Se todos fossem iguais a você".