Pesquisar

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

COM A MOSTRA  "UMA SÓ", ANDREA BRANDANI EXIBE SUA
ARTE DIVERSIFICADA NO CENTRO CULTURAL DA JUSTIÇA FEDERAL



De Luiz Carlos Lourenço
Fotos de Divulgação


O mais conhecido artista plástico especializado em grafites artísticos do Rio de Janeiro, ANDREA BRANDANI, vai realizar a partir de 29 de Janeiro, a primeira  grande mostra individual do Centro Cultural Justiça Federal, na Avenida Rio Branco, 241, no centro do Rio de Janeiro. A mostra, abrindo a temporada de expositores do ano que se inicia, ficará em exibição por dois meses , até 29 de março, ocupando o andar inteiro do segundo andar do CCJF, com direito a uma sala com os seus grafitis eróticos. Uma das cinco salas da exposição, que tem a curadoria do musicólogo Ricardo Cravo Albin, irá expor  a coleção "Notáveis da MPB", que tem centenas de rostos de músicos, cantores e produtores musicais famosos,  brasileiros famosos, grafitados em antigos discos de vinil. 
 A abertura da exposição, no dia 29 de janeiro de 2015, contará com a presença de uma boa parte dos cantores, músicos, produtores musicais e compositores retratados em grafites por ANDREA BRANDANI.


 Como parte dos eventos ligados à inauguração de sua mostra, em sociedade com o empresário JOSÉ HENRIQUE FERRAZ, renomado homem da noite que durante anos dirigiu a boate People, no Leblon, ANDREA BRANDANI inaugurou na ruas Julio de Castilhos, 35, no Posto Seis, em Copacabana, na rua Julio de Castilhos, 35, o boteco-estúdio ZÉ GALINHA & FILHOS, inteiramente decorado com quadros e discos de celebridades da música popular brasileira.

ARTISTA POLIVALENTE

 Seu nome de batismo é André Fernando de Carvalho Brandão, nascido em Belo Horizonte, nos anos 60, mas é com o nome artístico de ANDREA BRANDANI ou simplesmente Dé, ficou internacionalmente conhecido no mundo das artes e nas principais ruas de Ipanema, como o criador das mais belas esculturas talhadas em árvores mortas nos canteiros do bairro e pelos grafites espalhados pelos muros e portas de lojas comerciais da Zona Sul.


No momento, ANDREA prepara-se para alçar mais um grande voo em sua carreira, com um objetivo de ajudar no resgate da memória da nossa Música Popular Brasileira. Está concluindo os grafites dos rostos de mais de 700 cantores e compositores famosos, eternizados em spray colorido em antigos discos de vinil. Para expor seu trabalho, que o público irá conhecer a partir do dia 29, ele convidou o musicólogo, pesquisador, diretor e produtor musical Ricardo Cravo Albin para ser o curador de sua exposição, que homenageia "la créme de la  créme" de nossa MPB.
Em seus "grafites musicais", difícil é não encontrar um músico de renome, de Ary Barroso a Silvio Caldas, de Caetano Veloso a Nara Leão. Todos passam pelas suas mãos e pelas latas de colorjet. Ali surgem Elis Regina, duplas sertanejas, Silvio Santos, Adriana Calcanhotto e Paulo Ricardo, assim como Dorival Caymmi e toda a sua musical família.


 Andrea revela que  sempre soube que seria pintor. Começou a pintar sob a influência do pai, Hélio, e da irmã, Heliana, que à época estudava pintura em Belo Horizonte com Bracher. Aos quatro anos pintou seu primeiro quadro, um auto-retrato, seguido de uma série de desenhos inspirados na paisagem de sua cidade e nas igrejas de Guignard. Aos dezessete anos, criou a série de abstratos geométricos e a série de queimados. Aos dezoito, mudou-se para o Rio de Janeiro trazendo na bagagem um grande estojo de tintas, presente da irmã.
Construiu também grande série de navios dentro de garrafas, criando batalhas navais, portos, cidades e temas históricos, tendo realizado exposição no cassino de Póvoa de Varsin, em Portugal, em 1983. De 1980 a 1987 fez centenas de estudos de obras de Van Gogh, incluindo todos os auto-retratos, além de inúmeros quadros de Paul Gaugin, Picasso e Di Cavalcanti e temas próprios, tendo então criado séries de retratos e auto-retratos. Já a série Ipanema foi inspirada em uma tela de seu irmão escultor, Márcio, e a série Ônibus, no pintor Adriano Mandiavach. Por volta de 1990, surgiram as séries Elefantes, Flying Flowers, still life, sempre dando continuidade aos antigos temas. 


A partir de 1998 começou a pintar a via sacra, homenageando Gaugin e Guignard com elementos de Polock. Na sequência veio a série Window's cujo tema Flying Flower's é pintado em janelas antigas, encontradas em demolição. Atualmente trabalha alternada e profusamente todos os seus temas, dando especial atenção às séries eróticas e a série que atualmente toma todo o seu tempo atual, retratando os rostos que apontam o melhor da Musica Popular Brasileira. Em seu atelier, na rua Vinicius de Moraes, mantém acervo de mais de duzentas pinturas de grandes dimensões.
Quem nunca viu os elefantes indianos grafitados por toda Ipanema? E quem nunca esbarrou – e se surpreendeu – com uma árvore minuciosamente esculpida no mesmo bairro? Essas e outras incríveis intervenções são assinadas pelo talentoso Andrea Brandani, mineiro que instalou seu ateliê na Rua Vinicius de Moraes, em Ipanema, e desde então faz a arte que é ícone daquelas quadras. 


Uma amostra grátis deste minucioso trabalho já pode ser conferida nas paredes externas da renomada Galeria de Arte Jean Boghicci, na esquina das ruas Joana Angélica e Nascimento Silva, em Ipanema. Ali, lado a lado, os turistas já fotografam ídolos como Bibi Ferreira, Dorival Caymmi, Tom Jobim, Adriana Calcanhotto, João Gilberto, Maria Betânia, Chico Buarque de Holanda e dezenas de outros nomes consagrados. Também apresentadores ligados à música como Chacrinha, Jô Soares, Silvio Santos e Raul Gil, estão grafitados lá, assim como o próprio Ricardo Cravo Albin e Andre Midani.
Nas últimas semanas, alguns artistas já receberam cópias de seus vinis com seus rostos grafitados, como as cantoras Eliana Pittman, Adriana Calcanhotto, Joyce e Helo Pinheiro, a eterna Garota de Ipanema, além da atriz e produtora musical Angela Leal, proprietária do Teatro Rival Pertrobras.


UM BAR TIPO INSTALAÇÃO


 Para criar o bar Zé Galinha e Filhos em companhia do sócio José Henrique Ferraz, ANDREA BRANDANI incluiu vários de grafites de artistas em vinil, além de objetos de seu atelier. No simpático boteco, Andrea coordena o preparo de petiscos ótimos, como Pataniscas de Bacalhau, além de pratos saborosos como Talharim com Feijão e Cabelinho de Anjo com fritas. O bar apresenta como pano de fundo músicas antigas legais e, aos poucos, tem gente indo, e gostando.  




Andrea faz questão de supervisionar todos os pratos ali servido, que são temperados com manjerona organica com flores de rio bonito de lumiar, mais castanhas e parmesão, muito azeite extra virgem, além do especialissimo molho pra macarrao do Zé Galinha.Nas quintas e sextas-feiras, o bar está reunindo personalidades ligadas à Bossa Nova, como Alvaro Carrilho, Marcelo Pavarotti e os músicos e cantores Valmon Rodrigues e Junior Cardoso.
 O diferencial da casa é a boa e variada cerveja gelada, comida excelente, musica especialíssima e decoração diferenciada, além de um atendimento VIP. 


ENDEREÇOS:

1) CENTRO CULTURAL JUSTIÇA FEDERAL
Endereço: Avenida Rio Branco, 241 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, 20040-009
Telefone:(21) 3261-2550

2) Galeria JEAN BOGHICI

Bairro: IPANEMA
Endereço: RUA JOANA ANGÉLICA Nº 180
CEP: 22420-030
Telefone: 2522-4660 / 9983-8260

3) BAR ZÉ GALINHA E FILHOS

Endereço: Rua Júlio de Castilhos, 35 , Copacabana - Rio de Janeiro , RJ - Brasil - 22081-025
Categoria: Bares e Botecos  cariocas.