Pesquisar

sábado, 4 de outubro de 2014

PADRE JORJÃO CELEBRA A BENÇÃO DOS
ANIMAIS NA PRAÇA NOSSA SENHORA DA PAZ

Padre Jorjão celebrou uma benção emocionante


De Luiz Carlos Lourenço
Fotos de Daniel Marques

A Paróquia Nossa Senhora da Paz celebrou ontem pela manhã a tradicional Benção dos Animais, comemorando o Dia de São Francisco de Assis, conhecido como o protetor dos animais e da natureza, comemorado anualmente em 4 de outubro. A cerimônia contou com centenas de pessoas que levaram cachorros, gatos, pássaros animais para receberem as bençãos realizadas pelo Padre Jorjão, acolitado por outros sacerdotes.  
Antes da celebração, Padre Jorjão agradeceu a presença dos fiéis de sua paróquia, ressaltando o valor dos animais em cada família, e lembrando o significado de companheirismo e lealdade destes pequenos seres aos seus donos.

A praça Nsa. Sra. da Paz ficou lotada de fieis e seus bichinhos


São Francisco nasceu na cidade de Assis, Itália, em 1182. Ainda jovem, voltou-se para a vida religiosa e optou por viver na completa pobreza. Fundou a Ordem dos Frades Menores, mais conhecida como Franciscanos. Foi canonizado pela Igreja Católica em 1228, menos de dois anos após sua morte. São Francisco é mundialmente conhecido como o Santo patrono dos animais. Em homenagem a São Francisco, além da tradicional Igreja de Ipanema, muitas paróquias promovem a bênção dos animais. 

Pe. Jorjão dando a benção

Segundo os freis, o comum é abençoar cachorros, gatos, passarinhos. Entretanto, já teve gente que em anos anteriores levou até cavalo, hamster , uma jiboia e até uma tartaruga.
Antes de ir para a praia Vitória, de 7 anos, levou os dois canários para acabar com as brigas. “Eles estão brigando muito. Ela acabou de chegar, daí ele está com ciúmes. Com a bênção acho que vai melhorar, eu vou deixar os dois dentro da gaiola juntos.”

Conceição, Lourenço em ótima companhia

Enfermeira há 20 anos, Antônia Santos usa todo o carinho que tem para cuidar dos seus animais de estimação. “São seis cachorros e 12 gatos”. No dia do protetor dos animais, nenhum tem descanso. “É uma emoção, é alguma coisa que eu posso dar pra eles através de Deus.”
A gatinha virou uma companheira para Benedita Alves, auxiliar de escritório. “Depois que meu marido faleceu ela virou uma companheira. Ela está sempre do meu lado, quando estou triste, ela fica triste. Meus filhos adoram ela, ela é um amor.”