Pesquisar

quarta-feira, 4 de junho de 2014

Do Almanaque gaúcho, ZH


A moda (hoje politicamente incorreta) dos casacos de pele

Produtos da Pelaria Marta. Foto: Revista do Globo, Reprodução
Produtos da Pelaria Marta. Foto: Revista do Globo, Reprodução
  
Por Natacha Gomes


Mais um tenebroso inverno bate a nossa porta. Se estivéssemos em 1951, seria bem provável que na imprensa encontrássemos anúncios de lojas que marcaram época, como a Pelaria Marta, situada na Rua Vigário José Inácio, 368, defronte ao Cine Teatro Carlos Gomes, ou a Excelsior Modas, “o magazine aristocrático da Capital Rio-Grandense”, que ficava na Rua dos Andradas, 1.621.Certamente, também encontraríamos luxuosos casacos de pele sendo exibidos, admirados e desejados pelas damas postadas diante das vitrines com olhar de cobiça.

Logotipo da Pelaria Marta. Foto: Revista do Globo, Reprodução
Logotipo da Pelaria Marta. Foto: Revista do Globo, Reprodução
   

Como estamos em 2014, nada disso existe, pelo menos, não da maneira como era. O glamour foi substituído pela consciência ecológica ou patrulhado pelo politicamente correto e, mesmo que alguém ainda fique fascinado por peles naturais, dificilmente confessará, sob pena de execração pública. Correto! Mas antigamente era diferente… e lojas como essas “colocavam ao alcance das gaúchas o dernier cri da moda, com as mais recentes novidades de Paris e Nova Iorque”. Ofereciam “a sua distinta clientela, os mais lindos modelos de finíssimas peles importadas da França, Inglaterra, Canadá, como também de outros países da Europa”.

Fachada da Exclesior Modas. Foto: Revista do Globo, Reprodução
Fachada da Exclesior Modas. Foto: Revista do Globo, Reprodução
   
No andar térreo da Excelsior Modas, estavam peles em geral, tailleurs, manteaux, echarpes, lingerie fina, soutiens e artigos de toucador. Estes últimos, “produtos de beleza renomados no mundo inteiro, como Dorothy Gray, Elizabeth Arden e Jean Patou”. O departamento de “praia e campo” tinha “os mais encantadores itens para veraneio e week-end”. E suprassumo do chique: “no pavimento superior, um salão decorado com supremo bom gosto, onde, com o máximo confôrto, as clientes podem admirar  e escolher modelos de vestuário apresentados por manequins vivos, como Elvira, exclusivos da importante loja porto-alegrense”.

Elvira era manequim exclusiva da Excelsior Modas. Foto: Revista do Globo, Reprodução
Elvira era manequim exclusiva da Excelsior Modas. Foto: Revista do Globo, Reprodução

Elvira era manequim exclusiva da Excelsior Modas. Foto: Revista do Globo, Reprodução
Elvira era manequim exclusiva da Excelsior Modas. Foto: Revista do Globo, Reprodução