Pesquisar

segunda-feira, 28 de abril de 2014

LIVRO DE NEUSINHA BRIZOLA E O LANÇAMENTO NA
PIZZARIA QUE ELA MAIS  FREQUENTAVA, NO LEBLON...

Lourenço e Layla, filha de Neusinha



De Luiz Carlos Lourenço
Fotos de Daniel Marques


O ex-governador do Rio Grande do Sul e do Rio de Janeiro - em dois mandatos -, Leonel Brizola, convivia diariamente com uma adversidade caseira, sobre a qual não exercia nenhum controle. Chamava-se Neusinha Brizola, sua filha, famosa por escândalos, quase todos relacionados ao consumo de drogas. Quatro anos após sua morte, sua atribulada vida está sendo contada em livro mostrando que as  ''perdas internacionais'' e o embate permanente com as organizações Globo talvez não estivessem no topo da lista de preocupações de Leonel Brizola (1922-2004) ao longo de boa parte de sua vida pública. O maior problema do político estava sempre em sua própria casa.
"Minha vontade é sentar o relho no teu lombo", disse uma vez o então candidato à Presidência da República pelo PDT para a filha. Isso porque Neusinha escondeu um tablete com um quilo de heroína debaixo de um assento do carro utilizado pelo pai durante a campanha. Por vários dias, Brizola circulou pelo Rio com a droga alojada no veículo. Seu motorista se surpreendeu ao descobri-la e, nervoso, fez o relato ao patrão.Brizola se enfureceu e desferiu um ''não rotundo'' à Neusinha. "Que porcaria é aquela que o chofer encontrou debaixo do meu banco? Então você me faz andar pra cima e pra baixo, durante quase um mês, com a bunda em cima de um quilo de droga?" O sermão continuou e, por fim, ele expulsou a filha de casa. "Minha vontade é de te cagar a laço, tchê." Neusinha foi morar em Amsterdã.

Os autores do livro com Lourenço

Essa história está relatada na biografia ''Neusinha Brizola Sem Mintchura'' (Editora Interface Olympus), que teve mais um lançamento no Rio ontem à noite, no salão reservado da Pizzaria Guanabara, no chamado Baixo Leblon, um dos locais mais freqauentados por Neuzinha durante sua atribulada no Rio.  O coquetel do lançamento foi oferecido por um dos sócios da casa, Chico Recarey, conhecido como um dos reis  da noite carioca.
Desde as 19 h, os autores, Fabio Fabricio Fabretti e Lucas Nobre, autografaram o livro para dezenas de personalidades, juntamente com uma das filhas de Neuzinha, Layla Brizola, e entre os presentes destacavam-se a a socialite Narcisa Tamborideguy, a escritora de novelas Gloria Perez, a produtora e escritora Renata Dias Gomes, neta do teatrólogo Dias Gomes e da novelista Janet Clair e da promotora de eventos Marcella Zara. 

Marcella Zara, Lourenço e Layla

Para concluir o livro, os autores gravaram mais de 20 horas de entrevista com a personagem, que morreu em 2011, aos 56 anos, vítima de complicações provocadas por uma hepatite. A narrativa, na primeira pessoa, reúne intimidades da família Brizola e mergulha no submundo vivido por Neusinha, presa diversas vezes por porte de drogas. A dor de cabeça de Brizola com as estripulias da filha o levou a demitir o secretário estadual de Transporte, José Colagrossi, em 1983, por causa de uma festa gótica organizada por Neusinha, com direito a fantasia de Cleópatra, num prédio que pertencia à secretaria, o conhecido Edifício Garagem localizado no centro da cidade, em frente à Igreja de São José. Brizola governava o Rio pela primeira vez e ficou contrariado com a repercussão e os detalhes do evento. Numa área pública, instrumentos de tortura eram oferecidos aos convidados, todos com roupas pretas e servidos por garçons encapuzados à Ku Klux Klan.

Fabio Fabricio Fabretti, Renata Dias Gomes e Lucas Nobre

Ao saber da decisão do pai, Neusinha foi a seu gabinete tentar interceder a favor de Colagrossi. "Pai, o que você está fazendo não é certo." Ouviu nova reprimenda. "Certo foi o que você e ele não fizeram. Isso é insustentável. Aquele prédio pertence ao Estado, não é uma casa de festas."
A relação tempestuosa entre os dois durou décadas e criou outras situações de embaraço para Brizola. O terceiro colocado na corrida presidencial de 1989, com mais de 11 milhões de votos, chegou a dizer que sua tolerância com Neusinha havia se esgotado para sempre. Anos mais tarde, já no leito de um hospital, em 2004, o político e a cantora, autora do hit Mintchura, ensaiaram uma aproximação. Ela se dizia arrependida por ter deixado o pai em apuros um sem-número de vezes. Flexível, ele aceitou o seu beijo.  


OS AUTORES...

Lucas Nobre nasceu em São Borja e mora em São Paulo. Formou-se em jornalismo na Unisc e faz pós-graduação em Comunicação Empresarial na Universidade Metodista de São Paulo; auxiliou na pesquisa Mídia e Memórias Coletivas; é roteirista, pesquisador, locutor, repórter, mestre de cerimônias e proprietário da Nobre Press - Assessoria de Imprensa; esteve entre os cinco premiados em uma das edições do Concurso CNN de Telejornalismo Universitário da Turner International do Brasil; residiu em Québec, pelo Projeto Rondon - Canada World Youth; participou do Geração Futura, do Canal Futura, e fundou um escritório da AIESEC em Santa Cruz do Sul, no RS; assinou a coluna Horário Nobre, no Jornal Gazeta do Sul; integrou a segunda turma da Master Class do novelista da TV Globo, Aguinaldo Silva, no Rio de Janeiro; e coordenou a assessoria de imprensa da rede social de boca a boca online Kekanto. 


Fábio Fabrício Fabretti, nasceu em Maringá, no Paraná e mora no Rio de Janeiro. É professor, escritor e pesquisador; trabalhou no Centro de Documentação da Rede Globo de Televisão e produziu programas como A Hora da Justiça, na Rádio Band; na literatura, colaborou com antologias e outras mídias; tem livros lançados no Brasil, Alemanha, França e Noruega; fez a biografia de Caio Fernando Abreu; escreveu com Eduardo Nassif, a história da atriz Glória Pires, em 40 anos de Gloria; é autor da biografia "Jussara Calmon, muito prazer, pelos trinta anos do cinema erótico nacional", lançada também na Noruega; fez vários trabalhos infantis e internacionais, como O mistério dos livros, inspirado em Clarice Lispector; e participa também do site Escritoras Suicidas, usando pseudônimos.


A vida tumultuada de Neusinha Brizola renderia muito mais que um único livro, já que passou a infância num palácio, porém, com a ditadura sua família teve que se exilar. Neusinha, que ainda era uma menina, sofreu tanto com a mudança e com o terror da época que isso a afetou para sempre. Passando necessidades, não conseguia se adaptar a sua nova rotina. Nessa época, seu comportamento já começava a mudar radicalmente. "Resolvi conquistar a atenção de todos, ao meu modo", escreveu. E para o desespero de seu pai, foi exatamente isso que ela fez. "É maravilhoso e também um inferno ser pai de Neusinha", desabafou o político.
Em sua adolescência, Neusinha já começava a se viciar, bebia todas as manhãs e passou a usar e traficar drogas, fugiu com o namorado, aos 14 anos foi presa por tráfico, engravidou, casou-se contra sua vontade, antes do "sim" desmaiou, e quando acordou já estava com a aliança no dedo, virou cantora e se apresentava nas casas conhecidas do Rio de Janeiro, por seu sucesso foi modelo da Playboy, mas quando seu pai soube de suas fotos nua, vetou a circulação da revista.
Apaixonada pela natureza, teve diversos amantes, entre eles mafiosos, cantores e jogadores de futebol.



E tudo isso é apenas um pouco do que está relatado no livro da biografia dessa figura única que mesmo sendo tão contrariada, lutou pelos seus sonhos e pelos seus ideais.
O livro também está repleto de textos sobre Neusinha, escritos em diferentes épocas, por diversas personalidades, como Paulo Coelho, Lucinha Araújo, Nelson Motta e muitos outros.
Neusinha morreu antes do término deste  livro, mas Fábio Fabrício Fabretti e Lucas Nobre seguiram com seu desejo de lançar sua biografia.
"Então vou morrer contrariando a vida. E mesmo depois de partir, vou continuar dando trabalho e causar meu último escândalo, deixando um livro que vai falar e ficar por mim, sem 'mintchura'!", disse.
O primeiro lançamento "Neusinha Brizola - Sem Mintchura" ocorreu há um mês, na livraria FNAC Barra, Rio de Janeiro. A obra foi elaborada pela Editora Interface Olympus e mais três lançamentos já estão sendo acertados para as cidades de Brasília, Porto Alegre e São Paulo.